6.1.06

A Pós-Graduação em Ciencias Sociais

Nestas dicas sobre pesquisa social iremos apresentar orientações básicas para as pessoas que pretendem ter acesso a um Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais (PPGCS) - nivel Mestrado.

Em primeiro lugar, o acesso ao Programa de Mestrado exige do aluno algumas habilidades básicas necessárias para que ele possa cumprir o prazo dado para a elaboração satisfatória de uma dissertação de Mestrado (o tempo hábil é de 24 a 30 meses)

Primeiro, para ter acesso ao Mestrado, o aluno deve ter demonstrado, antes de tudo, possuir habilidade dissertativa, através da elaboração de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ou Monografia; tendo tido, portanto, experiência de iniciação científica, isto é, deve ter apreendido as habilidades mínimas da pesquisa científica.
Portanto, não basta ter aprendido a elaborar um projeto de pesquisa sociológica, mas é imprescindivel ter tido antes, experiência de iniciação cientifica na área de ciencias sociais, isto é ter defendido no curso de graduação, monografia ou TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), produto de uma prático científica básica.

Caso a pessoa não tenha tido experiência de iniciação científica, sugere-se que desenvolva, antes de ter acesso ao Mestrado, as devidas habilidades dissertativas e prática de iniciação científica na área de ciencias sociais, sob a orientação e acompanhamento de um professor
É aconselhável que a experiência de iniciação científica não ocorra durante o curso de pós-graduação.
Enfim, é imprescindível a pessoa tenha o domínio básico dos instrumentos analítico-teóricos, instrumentos metodológicos e instrumentais técnicos de pesquisa sociológica propriamente dita.

É importante que o aluno saiba:
(1) construir o texto científico (saber ler, escrever, citar e comentar autores)
(2) fazer pesquisa sociológica (construir o objeto de investigação, elaborar levantamento bibliográfico, ter clareza sobre método e técnicas de pesquisa e coleta de dados).

É importante salientar que a experiência de iniciação científica exige tempo de maturação, interesse de estudo e disciplina capaz de desenvolver as habilidades dissertativas e prática de pesquisa sociológica:
Habilidade dissertativa significa saber ler e escrever, elaborar fichamentos, organizar idéias, citar e comentar autores.
Prática de pesquisa sociológica significa saber elaborar um projeto de pesquisa com objeto de investigação delimitado; com objetivos gerais (e específicos) e hipóteses bem discriminadas; além de ter clareza sobre como e onde coletar dados e quais as técnicas de pesquisa a serem utilizadas. É importante também saber analisar dados a partir de um background teórico-analítico sociológico e saber expor os resultados da pesquisa de forma adequada.

A iniciação científica exige tempo de maturação, ou seja, cerca de 01 (hum) a 02 (dois) anos de estudo e intensa prática dissertativa. No caso dos alunos com graduação em sociologia e que defenderam monografia de bacharelado, o tempo da iniciação científica é o próprio tempo de sua graduação.
Uma graduação em ciências sociais deficiente em iniciação científica irá exigir dos alunos que buscam acesso a uma pós-graduação, um novo tempo de preparação capaz de sanar as deficiências das habilidades tecnico-cientificas.
Alunos não-oriundos da área de sociologia
Nos casos de alunos não-oriundos das ciências sociais, as deficiências de formação (e de iniciação) em pesquisa sociológica tendem a ser bem maiores, exigindo, portanto, mais tempo de preparação em sociologia (teorias, métodos e técnicas de pesquisa).
É importante conhecer os procedimentos teórico-analíticos da sociologia, buscando apreender sua linguagem (e sintaxe) científica, principalmente buscando conhecer seus autores classicos e suas principais teorias explicativas (a sociologia possui um campo próprio de elaboração do conhecimento social).
O tempo mínimo de preparação de alunos não-oriundos da sociologia depende, é claro, do esforço, dedicação e disciplina de cada um. Mas ele deve ser de, pelo menos, 01 (hum) ano .
O que se sugere é que o aluno tenha um plano de estudo (e de iniciação científica em sociologia), sob orientação de um professor, além de assistir, como aluno ouvintes, disciplinas básicas no curso de graduação em ciências sociais.

É importante lembrar que o processo de iniciação científica exige tempo e orientação docente segura e continuada.
A Iniciação Científica
A iniciação científica exige uma série de práticas e atitudes intelectuais. É um processo de aprendizagem das habilidades dissertativas, analíticas, técnicas e metodológicas da prática científica:
- habilidades dissertativas (saber escrever, citar, organizar o texto científico e elaborar bibliografia segundo normas da ABNT)
- habilidades teórico-critica (conhecer e dominar autores e abordagens sociológicas e os principais métodos de investigação nas ciencias sociais)
- habilidades técnico-metodológica (técnicas e instrumentos de pesquisa)
A prática de iniciação científica exige esforço, disciplina e interesse, além da criação de hábitos de leitura e de estudo individual ou coletivo.
É um processo de formação mental-intelectual, onde o aluno deverá aprender a elaborar (1) um projeto de pesquisa e (2) saber transforma-lo numa monografia de bacharelado ou dissertação de mestrado.
É importante saber distinguir monografia de bacharelado, dissertação de mestrado e tese de doutorado.
Cada produto discursivo da prática científica possui suas exigências dissertativo-analíticas próprias, o que significa que as exigências de uma monografia de bacharelado é inferior a de uma dissertação de mestrado; e a de uma dissertação de mestrado é inferior a de uma tese de doutorado.
A monografia de bacharelado é parte de um processo de iniciação científica que o aluno já deve dominar, em termos relativos, ao elaborar, mais tarde, sua dissertação de mestrado.
Na dissertaçào de mestrado o aluno deve demonstar que sabe elaborar pesquisa científica, isto é, coletar e organizar dados; e análisa-los numa perspectiva teórico-crítica. Deve demonstrar também capacidade de expor, de forma discursiva, o resultado da pesquisa científica.
A tese de doutorado exige o pleno dominio da prática de investigação científica e o desenvolvimento de uma hipótese de pesquisa/tese original.
A Construção do Projeto de Pesquisa
Para a elaboração de um projeto de pesquisa é indispensável seguir os seguintes passos:
1. Construir o objeto de pesquisa, transformando o assunto em tema e o tema num objeto de investigação delimitado e preciso, passível de ser investigado num determinado período de tempo.
Por exemplo: o aluno diz pretender investigar a greve.
Mas pergunta-se – qual greve? Onde? Quando?
Talvez ele queira investigar a greve como objeto teórico (as teorias sobre a greve no marxismo clássico, por exemplo. Deverá lidar com vários autores e apreender suas concepções sobre a greve, por exemplo).
Mas se desejar investigar a greve como objeto empírico, é obrigado a delimitar a investigação (a greve dos operários metalúrgicos da Ford do Brasil em tal data e tal local, por exemplo).
Nesse caso, ele consegue delimitar o tema, transformando-o num objeto de pesquisa.
2. Elaborar o objetivo geral e os objetivos específicos, apresentando, portanto, o objeto de pesquisa escolhido.
Se o objeto está bem delimitado, a enunciação do objetivo geral é perene.
Por exemplo, no caso de uma pesquisa sobre a greve dos operários metalúrgicos da Ford do Brasil, pode-se construir o seguinte Objetivo Geral: “Investigar a processualidade da greve dos operários metalúrgicos da Ford do Brasil, ocorrida em tal data em tal local, procurando apreender isto e aquilo.”.
3. Depois que se constrói o objetivo geral e os objetivos específicos deve-se promover um levantamento bibliográfico preliminar, capaz de identificar livros, dissertações e teses, e artigos científicos pertinentes ao objeto de pesquisa escolhido.
É importante que o aluno saiba o estado atual das investigações sobre tal tema, procurando detectar suas principais controvérsias analíticas. Por isso, após promover um certo levantamento bibliográfico, é importante discriminar o que é essencial daquilo que é meramente acessório na literatura sociológica sobre o tema . E após detectar o material bibliográfico indispensável, é importante ler, apreendendo as principais discussões teórico-analiticas, habilitando-se portanto, para o próximo passo.
4. Elaborar a Introdução e construir a Problemática/hipóteses, isto é, elaborar o corpo do projeto de pesquisa sociológico.
Num primeiro momento, o aluno deve aproveitar a literatura sociológica indispensável sobre o tema do objeto de pesquisa e apresentar suas principais controvérsias teórico-analitica, sempre procurando situar seu objeto de investigação.
Num segundo momento, o aluno deve tratar especificamente de seu objeto de pesquisa, apresentando algumas dados sócio-históricos preliminares, expondo portanto algumas hipóteses de pesquisa. É indispensável começar a apresentar o objeto de pesquisa, tratando agora de sua particularidade concreta.
Na Introdução, deve-se partir, portanto, do geral para o particular, da discriminação analítica da literatura sociológica mais geral sobre o tema para a mais particular, além, é claro, de apresentar, como salientamos, dados sociológico sobre o objeto de investigação em-si.
5. Elaborar a Justificativa da pesquisa sociológica significa apresentar seu valor científico e não o seu significado prático-utilitário.
Por exemplo: por que é importante estudar a greve dos operários metalúrgicos da Ford do Brasil ? – é a pergunta que pode-se fazer.
De certo modo, pode-se, nesse caso, salientar que é uma categoria operária importante no Brasil, localizada numa importante região industrial do País, pertence a uma empresa-líder de um dos setores dinâmicos da economia brasileira e que existe uma escassez de estudos sociológicos sobre tal greve (o que já seria uma boa justificativa para uma investigação sociológica). E mesmo que existam muitos estudos sociológicos sobre tal objeto de pesquisa, pode-se justificar a pesquisa sugerindo uma nova abordagem a partir de um novo enfoque teórico-metodológico.
É importante salientar que para uma dissertação de mestrado não se exige um tratamento original do objeto de pesquisa. O que se exige do aluno é uma demonstração cabal de que é capaz de fazer uma pesquisa sociológica e apresentar de modo claro, lógico-racional, seus resultados.
6. Uma boa discriminação da metodologia é indispensável, pois, nesse caso, o aluno deve demonstrar que sabe como atingir seu objetivo geral e seus objetivos específicos.
Tratar da metodologia é apresentar, de modo objetivo, os instrumentos de coleta de dados – pesquisa social quantitativa ou pesquisa social qualitativa (por exemplo, pode-se utilizar questionário, entrevistas, o que exigeria discriminar tipos de entrevistas; história oral, pesquisa participante, etc).
É importante que o aluno tenha tido uma introdução às técnicas de pesquisa sociológica. Não existe uma boa coleta de dados para serem analisados, se o aluno não dominar os instrumentais metodológicos. Uma coleta deficiente de dados empíricos pode inviabilizar os resultados de uma investigação sociológica.
7. Finalmente o Cronograma e a Bibliografia, que exigem clareza sobre os passos a serem dados para atingir o objetos geral e os objetivos específicos e sua distribuição no tempo.
Na bibliografia deve-se discriminar livros, dissertações e teses, artigos de revistas, etc, coletados no levantamento bibliográfico.
Atenção: todas as referências bibliográficas devem ser feitas segundo as normas da ABNT.
Em síntese: o processo de produção de conhecimento exige (1) a utilização das técnicas de pesquisa para coleta de dados empiricos, com rigor e método científico; (2) a capacidade de análise dos dados empiricos com imaginação sociológica e argúcia crítica e (3) a exposição objetiva dos resultados/conclusões da investigação sociológica.
GIOVANNI ALVES

11 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

terça-feira, 28 agosto, 2007  
Blogger Marilia said...

Este comentário foi removido pelo autor.

quinta-feira, 15 novembro, 2007  
Blogger Marilia said...

Professor Dr. Giovanni Alves,

achei muito interessante o seu Projeto Tela Crítica. E gostaria de saber se o senhor pode me ajudar com a seguinte dúvida:
qual filme posso assistir que retrate a indústria cultural no Brasil?

quinta-feira, 15 novembro, 2007  
Anonymous Joyce said...

Achei fantástico esse blog!!!!
Muito grata pelas dicas!!!!
Sou estudante de ciências sociais formanda, as dicas são preciosas! Unespiana, Araraquara.

Um abraço!

segunda-feira, 30 junho, 2008  
Anonymous Gilson Medeiros - João Pessoa,PB said...

Muito obrigado pelas valiosas informações. Estou pretendendo ingressar no Mestrado em Sociologia, e estava com algumas dúvidas sobre que rumo tomar, pois minha gradução foi em uma afim (Teologia).
Suas orientações foram direto ao ponto.

quinta-feira, 03 julho, 2008  
Blogger Ligia Prestes said...

Boa tarde, Giovanni!!!
Boas suas dicas e orientações!!! Sou formada em Sociologia pela Universidade Russa da Amizade entre os Povos-Moscou. Estou querendo muito começar um mestrado em Sociologia ou Serviço Social. Suas dicas foram muito valiosas, continue escrevendo, sempre que puder!! Obrigada!!!
Sds, Ligia Prestes.

quinta-feira, 27 novembro, 2008  
Anonymous Anônimo said...

Obrigada! Auxiliou-me quando estava em uma aperto de prazo pra escrever um artigo e não achava meus livros de metodologia ou minhas anotações sobre produção de texto científico! Definiu com exemplos simples e diretos...


estudande da graduação de cs da ufg

quarta-feira, 11 novembro, 2009  
Blogger keyla said...

EStudo pós-graduação em psicopedagogia e essas digas acresceram meu conhecimento e abriram novos horizontes,quero externizar minha gratidão,obrigada.

terça-feira, 09 março, 2010  
Anonymous Anônimo said...

Ola Prof Giovani
Gostei demais de sua contribuição no assunto: de como formular o projeto de pesquisa.
Sou Graduado em Historia, tive dificuldades em me Graduar pois comecei estudar com 33 anos, venho da roça, era boia-fria lenhador, mesmo assim consegui fazer uma especialização na UEM em Maringa, Sociologia,( Reflexão nas relações interetnicas, e quero fazer Mestrado em Historia, Educaçaõ ou Ciencias Sociais, estou lecionando Sociologia e Historia na Educação Basica. Quais minhas opossibilidades, em uma Universidade que possa contemplar um candidato com poucas possibilidades de competição??
Tenhpo facilidade em transitar entre as teorias da Escola Francesa, sou extremamente critico, ao modelo funcionalista por questaão ideologica, mas sou flexivel, haja visto que trabalhei entre peões, e puder conhecer a realidade e o instinto de sobrevivencia de pessoas, submetida a uma realidade sob uma refeição por dia. Aprendiu gerir e gestionar esse contingente de pessoas.
João Feranndes 46a email barrodeminas@hotmail.com & sociologiadoseculo21@hotamil

segunda-feira, 02 agosto, 2010  
Anonymous Anônimo said...

Parabéns pelas dicas professor; ajudou a iluminar minha preparação para o projeto de mestrado.

terça-feira, 12 julho, 2011  
Anonymous mestrados said...

Muito obrigado pelas valiosas informações.

terça-feira, 09 setembro, 2014  

Postar um comentário

<< Home